Artigos

Os Irregulares de Baker Street, final explicado. Entenda o fim da série da Netflix

Muito mistério, suspense e monstros é o que vemos na primeira temporada de Os Irregulares de Baker Street, que estreou em março de 2021 na Netflix.

A trama é ambientada numa Londres vitoriana e gira em torno de uma gangue de adolescentes delinquentes que são manipulados a resolver crimes para o sinistro Dr. Watson e seu parceiro de negócios misterioso, o famoso detetive Sherlock Holmes.

O Rip

Toda a ação da série aconteceu no Rip (ou rasgo, ruptura), a localização que o Homem de Linho havia encontrado quando entrou na mente do Mestre dos Pássaros em Bedlam.

Jessie também aplicou sua força e usou seus poderes para descobrir que o rasgo entre os mundos se abriu em um antigo fosso na estação de metrô em construção de Aldgate.

O Homem de Linho persuadia Sherlock para ser liberto de sua jaula em Bedlam, dizendo que o levaria para ver sua ex-amor e a mãe de Bea e Jessie, Alice no Rip. 15 anos antes, Watson abriu o Rip quando usou um artefato mágico para tentar se comunicar com os mortos.

Em um amor não correspondido por Sherlock, Watson tinha ciúmes dos poderes de Alice e estava desesperado para fazer algo extraordinário para que Sherlock o visse como especial. Naquela época, Alice tinha voluntariamente cruzado para a outra dimensão para fechar o Rip original e salvar o mundo. Desde aquela época, Sherlock havia se tornado um viciado, incapaz de superar sua perda.

O Homem de Linho planejava absorver o poder do Rip e se tornar um Deus que governava os humanos usando o poder do medo e dos pesadelos. Ele falou sobre ter um filho com Jessie para continuar a linhagem psíquica e criar uma super-raça dominante.

Pesadelos despertados 

No Rip, o Homem de Linho desenhou um símbolo mágico, começou um encantamento e enviou pesadelos para Bea e sua gangue, que estavam nos túneis a caminho para detê-lo.

O pior medo de Leo era sangrar até a morte, o de Spike era ver Jessie sofrer e morrer, o de Billy era o retorno do mestre do asilo zumbi e a de Bea era a memória de sua mãe os deixando e sua primeira noite no asilo quando crianças.

Encorajada por seus amigos a tirarem psiquicamente daquele túmulo de pesadelo, quando o Homem de Linho tentou entrar na mente de Jessie para torturá-la, ela virou o jogo contra ele e levou os dois para suas memórias.

Jessie o forçou a se lembrar de cada pessoa que ele “quebrou” usando seus poderes, começando com seu melhor amigo quando jovem, e a sentir a dor combinada ao mesmo tempo.

Como resultado, o poder do Rip deixou seu corpo e entrou no de Jessie, e o Homem de Linho caiu em uma caverna, onde morreu depois de dizer a Jessie que era sua mãe Alice quem havia aberto o Rip pela segunda vez.

Alice Cook

15 anos de isolamento no Purgatório mudaram Alice. Ela não estava mais preparada para fazer os mesmos sacrifícios que fazia anos atrás e perder sua família para salvar o mundo.

Ela deliberadamente abriu o Rip, sabendo que eventualmente destruiria a vida na Terra enquanto as outras dimensões se infiltravam em nossa realidade. Não haveria morte, ela argumentou, porque não haveria mais vida. As barreiras entre os mundos entrariam em colapso, mas ela teria sua família de volta e não teria mais que ficar sozinha.

Jessie percebeu imediatamente que sua mãe estava errada e eles tinham que fechar o Rip e salvar o mundo, mesmo que isso significasse nunca mais ficarem juntos. Bea, que tinha acabado de ser torturada pelo Homem de Linho para se lembrar da dor de perder a mãe, ficou no caminho de Jessie, preferindo o conforto de Alice ao fim do mundo.

Jessie usou seus poderes para mostrar a Bea memórias felizes e poderosas de sua vida, incluindo o amor que as mantinha juntas como irmãs, apesar de terem sido enviadas para o asilo, e Bea cedeu. Cada uma delas se despediu de sua mãe e observou enquanto ela se dispersava através do Rip de volta para a outra dimensão.

O fim de Sherlock 

Assim como Jessie estava usando seus poderes para fechar o Rip, Sherlock saltou para seguir Alice. Em uma repetição dos eventos de 15 anos atrás, um Watson apaixonado se agarrou a ele para tentar puxá-lo de volta, mas desta vez, ele o deixou ir e ajudou a salvar Jessie.

Sherlock passou pelo Rip, Jessie fechou e todo o caos e monstros lá fora voltaram ao normal. Anna parou de tentar matar Leo e voltou ao normal. Londres e o mundo foram salvos. 

Ainda havia tempo para despedidas emocionantes. Uma espécie de funeral foi realizado para Sherlock e Alice, como Bea aprendeu no Rip que não era o luto pela mãe deles que magoava as meninas, mas o fato de não ter sofrido devidamente por sua perda.

Leo deixou Bea, dizendo a ela que o que eles tiveram juntos era amor verdadeiro, mas que ele tinha que ir para a Europa e se casar com uma princesa real. Essa era a condição que o palácio lhe deu quando salvou Billy da forca pelo assassinato do mestre do asilo, e se ele não seguisse em frente, Billy seria levado embora e enforcado.

Spike e Jessie compartilharam um momento íntimo em que ele confessou que seu pior medo era que ela fosse ferida ou morta. E Bea foi ao 221B Baker Street estender a mão da amizade a Watson, que estava de luto pelo objeto de seu amor não correspondido: Sherlock.

Ambos sofrendo por seus amores perdidos, Watson prometeu que estaria lá para Bea e não iria a lugar nenhum. Tudo terminou com um jantar de peixe e batata frita e muita emoção.

2ª temporada

Em um caso raro, ótima notícia para os fãs de Os Irregulares de Baker Street: a Netflix, claramente apostando no seu sucesso, deu o sinal verde para uma segunda temporada, ou seja, a série já estaria renovada segundo informações exclusivas do site What’s on Netflix.

Além disso, a plataforma também planeja começar a produção no meio do ano, com as filmagens programadas para acontecer em Liverpool, no Reino Unido.

Saiba mais sobre a segunda temporada da série clicando aqui!

Já conhece nosso canal do YouTube? Lá tem vídeo toda semana. Se inscreve!
Deixe seu comentário

Leia também