Perdidos no Espaço NEtflix

Que tal darmos uma chance para Perdidos no Espaço?

Vale a pena apostar em Perdidos no Espaço? Sem duvida, a resposta é sim! A série conquista o telespectador em seu primeiro episódio, que é de tirar o folego até para quem não curte muito obras de ficção cientifica. Vamos tentar? A história da família Robinson, que parte para colonizar um novo mundo e acaba se perdendo no espaço, é cheia de reviravoltas mirabolantes e muita ação, tensão e humor na medida certa, sem deixar de abordar os dramas familiares.

A produção, original da Netflix, é inspirada em um remake homônimo da década de 60 e ainda possui ingredientes de grandes filmes hollywoodianos, como por exemplo, “ET, o Extraterrestre” (1982), “Alien, o Oitavo Passageiro” (1979) e “ Meu Primeiro Amor” (1991) . Qualquer semelhança não é mera coincidência.

Perdidos no Espaço traz um leque de personagens que se enlaçam de uma matéria que da vida a trama. Começando pela matriarca Robinson, a engenheira Maureen (Molly Parker – quem não lembra dela, brilhantemente como Jackie Sharp em House Of Cards?) que se desdobra muito bem no papel de esposa em um casamento em crise, mãe de três filhos e ainda comandante da Júpiter 2. É dela a missão de buscar uma solução para a atual situação familiar, mas tem que contar com o o marido, John Robinson (Toby Stephens), que se martiriza por ter se tornado ausente em razão da carreira militar.

Um robô – que possui uma personalidade bipolar, com instintos de dividem entre o bem e o mal -, e sua proximidade com o personagem Will Robinson (Maxwell Jenkins) é um capítulo a parte na produção. Ao mesmo tempo em que admiramos esta amizade, tememos o pior que pode resultar dela. Maxwell Jenkins, com uma desenvoltura brilhante, transmite coragem e inocência para o personagem de Will Robinson, uma criança com seus medos e inseguranças, nas mãos de um ser tão antagônico.

A vilã Dra. Smith (Parker Posey) – que tem um quê na aparência de Sigourney Weaver, a Ripley, de Alien, o Oitavo Passageiro, não acham? – dá o tom maléfico do enredo permeando maldade, falta de escrúpulos e limites. O que esperar de uma antagonista tão dissimulada, sem nenhum tipo de sentimento e manipuladora ao extremo?
Sem dar muito spoiler, Perdidos no Espaço mostra ainda a personagem Penny Robinson (Mina Sundwall) se apaixonando pela primeira vez e Judy Robinson (Taylor Russell), enfrentando o desafio de salvar uma vida ou ter dar a chance todos se salvarem.

Outro personagem que merece ser citado é do ator argentino bonitão Ignacio Serricchio no papel de Don West. Ele traz o humor e o carisma para Perdidos no Espaço. Ha grandes chances de Don West ganhar um par romântico na segunda temporada (as apostas estão abertas). Toda expectativa em acompanhar a saga da família nos garante dez capítulos de muita historia e fecha a temporada da mesma forma que começou, nos deixando perdidos!

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO! ❤
Tags:
0 shares
Jornalista mineira, apaixonada pela profissão,  cinéfila de carteirinha e apaixonada por Netflix.

Deixe uma resposta