Curiosidades

Faça o teste! 5 sinais de que você pode estar namorando um Joe na vida real

Após uma longa espera, finalmente a Netflix lançou a segunda temporada de You (Você), para podermos acompanhar mais uma perseguição do psicopata Joe, que fica obcecado e pratica os atos mais terríveis para manter o controle sobre seus “amores”.

Apesar da série não ser baseada em fatos reais, podemos muito bem reconhecer alguns comportamentos estranhos que podem sim acontecer na vida real.

Em entrevista ao site Express.UK, o psicólogo sueco Niels Eék listou 5 sinais que devem ser encarados como “bandeiras de perigo” por qualquer um em um relacionamento, então, caso você identifique os itens em seu relacionamento ou conhece alguém assim, cuidado! Você pode estar envolvido com alguém abusivo ou até possa estar namorando um psicopata. Veja a lista:

1 – Interrogatórios

Em namoros e romances, é comum que os envolvidos compartilhem entre si detalhes de seus dias. No entanto, de acordo com Eék, esse compartilhamento deve ser sempre voluntário.

“Essas informações nunca devem ser exigidas, principalmente em intervalos que deixem algum dos envolvidos desconfortável. Se seu parceiro sempre tenta vasculhar seu celular, ler seus e-mails ou invadir sua privacidade, essas atitudes são consideradas extremamente controladoras”, contou.

2 – Críticas constantes

Críticas também são comuns em relacionamentos, porém, no caso das relações abusivas, elas se tornam armas para o abusador. Com críticas excessivas e infundadas, um parceiro controlador pode minar a autoestima de quem é controlado.

“No final das contas, é difícil se sentir aceito, amado ou validado quando alguém diz constantemente que o que você está fazendo não é o suficiente ou está errado”, contou o psicólogo.

3 – Culpa

Segundo o psicólogo, a culpa é uma das principais armas de pessoas controladoras em relacionamentos abusivos. Na primeira temporada de You(Você), Joe sempre tentava deixar Beck se sentindo culpada por fazer qualquer coisa sem ele.

“Se você se sente constantemente culpado ou tenta se desculpar e agradar o parceiro o tempo todo, para fazê-lo se sentir melhor, o relacionamento tem grandes chances de estar evoluindo para algo controlador”, explicou o psicólogo.

4 – Ciúme excessivo

Eék explicou que o ciúmes encontra suas raízes no medo da inadequação e o temor do parceiro de ser substituído por outro alguém. As demonstrações excessivas do sentimento também não relacionadas ao sentimento de posse, algo que Joe de You(Você) entende bem.

“Se seu ente querido começa a, por exemplo, criar regras sobre com quem você pode conversar, ou principalmente demonstra possessividade física, isso é motivo para preocupação”, explicou o psicólogo.

5 – Isolamento

Manter um relacionamento próximo com família e amigos é algo importante para qualquer pessoa, e isso não deve mudar quando alguém começa a namorar. Normalmente, um casal passa por um certo afastamento do círculo de amizades no início da relação, mas a fase não dura muito tempo.

Se um parceiro exige que você se afaste de seus familiares ou amigos, ele com certeza está tentando te controlar.

“O objetivo de psicopatas em relacionamentos abusivos é retirar o alvo de sua rede de suporte, composta de seus amigos e família. Isso também inevitavelmente aumenta o nível de estresse, e favorece a dependência emocional. Por isso, muitas pessoas envolvidas em relacionamentos abusivos têm dificuldades em deixar a relação”, explicou Eék.

Caso você tenha identificado algum(s) item(s) acima, cuidado, busque ajuda!

A nova temporada mostrará que Joe tem uma nova obsessão. O alvo dessa vez é Love Quinn, personagem interpretada por Victoria Pedretti (A Maldição da Residência Hill).

Uma das coisas que vai mudar a dinâmica de Joe é que a jovem não se interessa por redes sociais e foca em ter uma vida interessante, ao invés disso. Mas Quinn terá uma tristeza profunda e por isso sentirá uma forte ligação com Joe.

O Tem Alguém Assistindo? também está no Google News. Vem saber tudo sobre séries e filmes! Siga-nos!
Deixe seu comentário

Leia também