Curiosidades

Entenda detalhadamente o “Plano Paris” da Parte 4 de La Casa de Papel

A parte 4 de La Casa de Papel chegou na Netflix dia 3 de abril e muita já maratonou a série. Entenda abaixo detalhadamente a respeito do último plano do Professor.

Cuidado, contêm SPOILERS!

O último plano da temporada do Professor, intitulado Plano Paris, foi pensado com a possibilidade de que algum integrante do grupo fosse pego e como o restante deveria agir. Ou seja, não é ninguém que se chama Paris, mas o nome fora escolhido pela fama romântica da capital francesa.

Dessa vez, após uma fuga do Professor e Lisboa dos policiais, a dupla não obteve sucesso e infelizmente Lisboa acabou sendo capturada. Mas fazendo com que o Professor acreditasse que sua amada havia sido morta, fazendo-o entrar em desespero. Mas após conversar com Tóquio, os dois acreditaram que Lisboa estava viva e sendo mantida em silêncio. E então, após essa confirmação o novo plano entra em ação.

O Plano Paris consiste em usar mais uma vez o time de sérvios para cavar um túnel entre um restaurante chinês abandonado e o estacionamento que dá acesso ao tribunal em que Lisboa daria depoimento. Por conta da presença massiva da imprensa ela não entraria pela porta principal, mas sim pelo estacionamento.

Portanto, para dar o tempo necessário para cavar o túnel, Lisboa sabia exatamente o que precisava fazer: enrolar os juízes com o máximo de detalhes sobre o plano para que seu depoimento fosse retomado na manhã seguinte. Enquanto isso, os sérvios deveriam finalizar o túnel e criar uma parede falsa para esconder a operação, e isso tudo com o auxílio da equipe de hackers paquistaneses, que manipularam as câmeras de segurança. Nos últimos minutos para finalizar o túnel, Marselha e outra companheira tiveram que enrolar o segurança do estacionamento com o som alto do carro, para que o restante do grupo fizessem o barulho necessário para finalizar o túnel.

Finalizado o túnel e a passagem secreta, Lisboa só precisava finalizar de vez seu depoimento, mas dessa vez iria ser rápido, negar a falar e sair. Enquanto isso, a equipe de sérvios aguardava disfarçada para simular uma transferência de prisioneiros. No momento em que o grupo transportando Lisboa passou pelo grupo enviado pelo Professor na garagem, a palavra-chave “Bom dia” foi feita a rendição dos policiais e a prisioneira foi resgatada. Depois disso, os policiais foram obrigados a continuar a rota como se nada tivesse acontecido.

Após o resgate de Lisboa o novo objetivo seria leva-la para o restante do grupo, para isso, o Professor usa Gandía para pedir apoio tático da polícia. Um helicóptero é autorizado a voar sobre o prédio do Banco Central, mas a polícia não desconfia que ele é pilotado por Marselha e está lá para deixar Lisboa. Após um confronto simulado, com Denver usando uma roupa preta para se passar por Gandía, Lisboa entra no prédio. O grupo está reunido novamente e jura vencer a guerra em nome de Nairóbi.

Tudo parecia ter dado certo até aí, porém, o Professor não estava contando com a ex-inspetora Sierra. Após a polícia ter a usado como bode expiatório pelos casos de tortura, ela jurou vingança e enquanto o “Plano Paris” era colocado em prática, ela seguia com a sua investigação, descobrindo que o policial Antoñanzas era o meio de comunicação entre Lisboa e o Professor. Seguindo os passos do Professor, ela descobriu seu esconderijo e foi até lá.

E assim, terminando a Parte 4 de La Casa de Papel, com Sierra apontando uma arma para o Professor e dizendo: “Xeque-mate, filha da p*ta”. Deixando um belo gancho para uma nova temporada.

Fonte: Omelete

Já conhece nosso canal do YouTube? Lá tem vídeo toda semana. Se inscreve!
Deixe seu comentário

Leia também