Notícias

Diretores de Game of Thrones defendem surto de Daenerys em Porto Real

Daenerys aniquilou Porto Real de todas as formas possíveis, e isso está fazendo com que ela seja chamada de Rainha Louca, deixando de lado toda sua empatia que vimos durante as outras temporadas de Game of Thrones.

Porém, após o último episódio da série, os diretores David Benioff e Dan Weiss defenderam o arco narrativo que Dany ganhou – mesmo com muita gente polemizando a decisão:

“Sempre houve algo assustador na forma como Dany respondia à morte de seus inimigos”, disse Beniof, usando a morte de Viserys (Harry Lloyd), irmão mais velho de Daenerys, como exemplo. “Quando voltamos mesmo para a primeira temporada, quando Khal Drogo (Jason Momoa) dá a coroa dourada a Viserys e ela assiste à cabeça do irmão derretendo. Ele era um irmão horrível, então não imagino que alguém tenha sofrido com a morte dele, mas…”

Eles também afirmam que Daenerys transformou essa guerra contra Cersei e Porto Real algo pessoal, por isso ela teve essas atitudes:

“Não acho que ela tenha premeditado o que faria”, disse Weiss. “Mas então ela vê a Fortaleza Vermelha, a casa que sua família construiu quando chegaram 300 anos antes. Nesse momento nos muros de Porto Real, quando ela olha para o símbolo de tudo que foi tirado dela, que ela decide transformar a guerra em algo pessoal.”

Por fim, os diretores citam que a, agora Rainha Louca, sofreu muitas traições, e acumulou traumas durante os anos:

“Se as circunstâncias tivessem sido diferentes, não acho que esse lado de Dany teria emergido. Se Cersei não tivesse traído ela (no acordo para se defenderem dos Outros), se Cersei não tivesse executado Missandei (Nathalie Emmanuel), se Jon não tivesse revelado a verdade… se qualquer uma dessas coisas tivesse acontecido de forma diferente, então não acho que estaríamos vendo esse lado de Daenerys Targaryen.”

Fonte: O Globo

Já conhece nosso canal do YouTube? Lá tem vídeo toda semana. Se inscreve!
Deixe seu comentário

Leia também