Crítica | The Boys choca, ofende e isso é bom!

Atenção, este artigo pode conter spoilers da primeira temporada de The Boys. Se ainda não assistiu, veja as primeiras impressões sem spoilers no vídeo.

Herói: figura que flutua entre o divino e humano e deseja se provar, superar os seus limites, além de constantemente tentar melhorar o mundo. Bom, pelo menos é o que se espera ou o que o marketing dos The Seven leva a população a acreditar nessa série que decide subverter todo esse conceito.

Partindo do politicamente incorreto, ofensivo e violento, a trama usa a figura virtuosa do herói para contrastar brilhantemente com tudo que há de desonroso no ser humano.

Trata-se de uma série disposta a explorar uma questão constantemente ignorada, que é o fato de que os super heróis são seres que não compartilham da fragilidade fisiológica humana, mas que no quesito psicológico são como nós, tão problemáticos e vaidosos quanto. Será que eles nos vêem como iguais? A série mostra claramente que não. Nesse mundo essas super pessoas são tão corrompidas pela fama e dinheiro quanto qualquer outro humano, mas o fato de terem super poderes acaba por torná-los mais perigosos e os afasta mais ainda da essência humana.

De modo sarcástico The Boys aproveita todo esse pacote para contar a história de um grupo de vigilantes, liderados por Billy Butcher (Karl Urban), que também estão longe de serem pessoas virtuosas, que decidem vigiar e desmascarar esses heróis. Enquanto isso, acompanhamos em paralelo a jornada de Annie (Erin Moriarty), até então a única personagem mais próxima do conceito virtuoso de heroísmo, que ao entrar para o grupo de Supers acaba descobrindo que por trás de outdoors e salvamentos midiáticos há pessoas que não estão tão preocupadas em salvar o mundo.

Toda essa quebra de expectativa acabou por fazer com que The Boys se tornasse uma das séries mais comentadas desse final de semana, com direito a um selo de Fresh pelo Rotten Tomatoes pelas diversas críticas positivas, seja da mídia especializada seja pelo público.

Spoilers

Não só a história não tem vergonha de explorar o lado obscuro do poder, como abusa do gore e da violência para deixar claro o quão insignificantes somos aos olhos desses seres quase divinos, mas que ao final se descobre que são humanos modificados em laboratório. Ou seja, não só eles não são escolhidos por Deus, como são cobaias de uma corporação com interesses escusos, de olho no mercado lucrativo das guerras. O que não se esperava é que seus heróis, em especial Homelander (Antony Starr), acabariam tomando a situação para si e se rebelando contra o empregador, colocando o mundo todo em risco ao criar Super Terroristas. Embora não tenham sido escolhidos por Deus, estes acabam tomando em sua mão o papel de escolher quem vive e quem morre, e agora também escolhem como serão seus próximos desafios em busca de fama e dinheiro.

No meio disso tudo temos os humanos alienados e adoradores desses seres, que não percebem que são vistos apenas como meros balões de água mas ainda assim também não os consideram humanos dignos de respeito, vendo-os como deuses ou produtos de consumo, e Hughie (Jack Quaid), um cara que apenas queria se vingar pela morte da namorada, mas acaba envolvido com os Super.

É claro que nem tudo é preto no branco, já que os personagens apresentam camadas, sejam elas construídas no trauma, sejam elas construídas na perda da humanidade e busca por um sentido e lugar no mundo. Nisso, Queen Maeve (Dominique McElligott) -pouco aproveitada mas com grande potencial-, The Deep (Chace Crawford) e A-Train (Jessie T. Usher) acabam por demonstrar pouco a pouco um resquício de busca por uma identidade além daquela programada pela equipe de marketing da empresa.

O último episódio revela o que aconteceu com a esposa de Billy, gera uma nova ameaça e deixa uma bom gancho para a segunda temporada que já está em produção.

The Boys é baseada nos quadrinhos de Garth Ennis e Darick Robertson, cujas 72 edições foram publicadas entre 2006 e 2012, e produzida por Eric Kripke, Evan Goldberg e Seth Rogen, o último faz algumas participações bem como outras carinhas bem conhecidas também fazem uma ponta aqui e ali. Aproveite e assista todos os episódios já disponíveis no streaming Prime Video.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO! ❤
Tags:
0 shares
Apenas uma garota que ama filmes, séries e livros.

Deixe uma resposta

error: Este conteúdo está protegido.