Oraphan-Black-netflix

Orphan Black: OBRIGATÓRIO pra quem ama séries

Orphan Black tem uma das melhores premissas que já vi numa série. Geralmente, o que menos me chama atenção ao procurar saber sobre alguma obra é a sinopse. Eu procuro ler mais sobre, ver críticas, opiniões, etc. Porém, com Orphan Black foi diferente. Dá uma lida comigo: Depois de presenciar o suicídio de uma mulher (que é exatamente como ela) em uma estação de trem, Sarah Manning (Tatiana Maslany) faz o que qualquer um faria: assume a identidade da suicida para tentar resolver os próprios problemas financeiros. Mas logo ela descobre que está no centro de um mistério que vai mudar sua vida, quando se vê cara a cara com mais três mulheres idênticas a ela. Todas são clones, e precisam salvar as próprias peles enquanto tentam descobrir quem são os responsáveis pelos experimentos genéticos.

Pensei: mulheres idênticas? CLONES? Quer dizer que ela tem clones e assume a identidade de um desses clones? Bom, no mínimo interessante. Vou dar uma chance! E essa foi uma das melhores decisões que já tive. Comecei Orphan Black e em cinco minutos eu já tinha certeza que eu estava assistindo a algo sensacional.

Após a premissa da série, o que logo me chamou a atenção foi a quantidade de “gêmeas”. Logicamente fui sabendo que a mesma pessoa interpretaria todos os clones, mas não sabia que eram tantos e, principalmente, que seriam interpretações tão GE-NI-AIS. Tatiana Maslany, que venceu o Emmy de melhor atriz em série dramática em 2016, é uma das melhores atrizes da atualidade. Ao todo, ela faz cerca de 12 clones. Recorrentes são 5, com uma delas sendo uma das grandes vilãs. Porém, o que mais chama atenção é como as personagens são diferentes. Elas tem características muito opostas. E quando a cena contém várias delas juntas? Fica mais impressionante ainda. Uma coisa que todo fã de Orphan Black sabe é que as vezes a gente esquece que é a mesma atriz. É como se a gente fosse fã de todas as atrizes que fazem as sestras, mas não, é uma pessoa só. Que atriz…

Voltando para sua sinopse, ela entrega algo que realmente cumpre as expectativas. A série terminou recentemente em 2017 e tem todas as 5 temporadas estão disponíveis na Netflix. Orphan Black com certeza não é uma das melhores séries de todos os tempos, mas é uma das melhores da atualidade. Mesmo com alguns furos, a complexa história vai te intrigar até o último minuto do último episódio. Você irá torcer para os personagens da Tati como se fossem suas melhores amigas. A protagonista, a doidinha, a cientista homossexual, a FUCK’IN CRAZY loirinha – talvez uma das personagens que mais me identifiquei na vida – e a odiável, mas não menos ótima, Rachel Duncan.

Elenco este que não se resumi – apesar de parecer – apenas à Tatiana Maslany. Jordan Gavaris, que faz o irmão de Sarah, é simplesmente fantástico também. Extremamente carismático. O ponto mais fraco fica por conta de sua sobrinha, filha da Sarah, que apesar do esforço, não demonstra muitas emoções.

Orphan Black tem 50 episódios com muito drama, suspense e ficção científica que prometem te viciar e maratonar vários finais de semana seguidos. A fotografia é bem interessante, porém a trilha sonora não é algo marcante. Pelo menos pra mim, que escuto tudo de Sons of Anarchy até hoje.

Ama séries? Assista e se surpreenda, assim como eu me surpreendi.

ORPHAN BLACK
  • Direção
  • Roteiro
  • Elenco
  • Fotografia
4.3

Resumo

Uma das premissas mais instigantes que já vi numa série, uma atriz fantástica e uma das melhores maratonas que você pode ter. Apesar de arrastada as vezes, Orphan Black cumpre muito bem o seu papel!

DEIXE SEU COMENTÁRIO! ❤
Tags:
0 shares
Publicitário, designer, amante de séries e filmes, voluntário do TEDxJoãoPessoa e criador do site Tem Alguém Assistindo?, especializado em séries e filmes.

Deixe uma resposta